NOTÍCIAS
Data de Publicação: 10-04-2019

Direto do plenário

A sessão ordinária desta quarta-feira (10), na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), iniciou com um minuto de silêncio pela morte do músico Evaldo Rosa, no Rio de Janeiro, no último domingo (7), atingido por 80 tiros disparados por militares do Exército. 

A homenagem foi solicitada pelo deputado Jacó (PT), que, em pronunciamento subsequente, informou ao plenário sobre a realização de um ato em alusão ao Massacre de Eldorado do Carajás, no Auditório Jornalista Jorge Calmon, na próxima quarta-feira (17). Na oportunidade, completa-se 23 anos do evento que ocasionou a morte de 19 trabalhadores sem-terra no município paraense, vítimas de ação da polícia daquele Estado.

A deputada Fabíola Mansur (PSB) celebrou a aprovação, pelo Senado Federal, do projeto que facilita medidas protetivas de urgência para mulheres ou a seus dependentes, em casos de violência doméstica ou familiar. A socialista ressaltou que a proposta autoriza, por exemplo, policiais a tomarem providências, como o afastamento do agressor do lar ou local de convivência. "Isso significa que podemos salvar vidas de mulheres agredidas", sustentou.

Em pronunciamento, Olívia Santana (PC do B) trouxe denúncia da cacica Cátia Tupinambá, liderança indígena do município de Belmonte, que relatou tensão na região por disputa de terra. ?Mesmo com decisões favoráveis à posse de terra para a comunidade indígena, tanto do TRF1 quanto do STF, os conflitos não cessaram?, disse a comunista, que vai encaminhar o caso à Comissão de Direitos Humanos da Casa, a pedido da cacica, em "virtude da robustez de documentação e de decisões judiciais favoráveis à comunidade indígena".

José de Arimateia (PRB) lembrou a passagem do Dia do Jornalista, no último domingo, 7 de abril, para homenagear os profissionais de imprensa da Bahia e do Brasil, especialmente os assessores dos deputados e aqueles que fazem a cobertura da Casa. "Eu fico muito feliz por fazer parte desta categoria", revelou o republicano, que ainda felicitou o Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia (Sinjorba) e sua presidenta, Marjorie Moura. 

O líder do governo, deputado Rosemberg Pinto (PT), fez um apelo ao Tribunal de Justiça da Bahia para rever uma decisão recente que impede uma presidiária, aprovada em vestibular, de cursar a faculdade. Trata-se da detenta Priscila Regina da Silva Costa, de 34 anos, que passou no curso de Biblioteconomia da Ufba. "Independente do crime que foi cometido, não quero entrar nesse mérito, acredito que seja uma demonstração de ressocialização e um exemplo que pode sensibilizar outras pessoas que cometeram ilícito, que podem se redimir voltando a estudar. É lógico, criando as condições de saída e retorno, dentro do que o regime permite", defendeu o petista. (Agencia Alba).

Foto: CarlosAmilton/AgênciaALBA

 

 

COMPARTILHE:
COLUNISTAS
PUBLICIDADE

Publicidade
Publicidade
Publicidade
TV ALBA

TV CÂMARA
LINKS
© 2006 - 2013 itamarribeiro - A Noticia Perto de Você – Itamar Ribeiro -Todos os direitos reservados
Editor: Itamar Ribeiro - (71) 9974-0449